SCS QD. 06 BL A N 172 ED. JESSE FREIRE 5º ANDAR SL 15- CEP: 70.306-908 - Brasília - DF

Comércio do DF espera crescimento de 0,6% nas vendas para o Dia das Crianças

diacriancas
Os empresários do comércio do Distrito Federal acreditam que as vendas para o Dia das Crianças em 2019 devem crescer apenas 0,6% em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo levantamento realizado pelo Instituto Fecomércio, somente 37,2% dos entrevistados esperam vender mais. Outros 13,8% acreditam que as vendas serão menores e a maioria, 49%, apostam em vendas iguais. O estudo foi realizado com 500 empresários de 15 segmentos diferentes.

O presidente da Fecomércio, Francisco Maia, explica que a expectativa é positiva, mas que os comerciantes ainda estão preocupados com a situação econômica do País. “Os lojistas estão cautelosos em relação as vendas na comparação com o ano passado”, aponta. “Porém, a liberação dos saques do FGTS pode ajudar a injetar dinheiro na economia e alavancar as vendas durante a data comemorativa”, completa. O presidente da Federação do Comércio, também esclarece que normalmente o segundo semestre do ano é melhor para a economia do que o primeiro.

Entre os segmentos mais otimistas para o período, com grandes perspectivas de faturamento durante o Dia das Crianças, estão as chocolaterias (previsão de crescimento de 53% nas vendas), calçados/acessórios (48,44%) e lojas de brinquedos (45%). O preço médio do presente foi estimado pelos lojistas em R$ 251,98. O levantamento do Instituto Fecomércio constatou ainda que 70,8% dos entrevistados devem manter seus estoques. Já 25,8% pretendem aumentar e 3,4% devem reduzir o nível do estoque em comparação com o ano passado. O empresário também indicou que não irá alterar, em média, o preço dos produtos.

O Instituto Fecomércio também pesquisou sobre a intenção de compra dos clientes. De acordo com o levantamento, 52,92% dos entrevistados possuem a intenção de comprar presente no Dia das Crianças deste ano, 36,87% não pretendem comprar e 10,6% ainda não sabem. Foram entrevistados 514 consumidores. Dentre os entrevistados que não vão presentear, 28,42% informaram que possuem dificuldades financeiras ou estão desempregado, 58,42% não possuem crianças para presentear na data.

O presidente da Fecomércio, Francisco Maia, ressalta que no Dia das Crianças deste ano, as preferências do consumidor indicam por produtos como brinquedos (83,95%), roupas (50,92%) e calçados (44,13%). “Essa preferência se mantém a mesma desde o ano passado, com pequenas variações nos percentuais de escolha”, esclarece. Cada entrevistado pôde escolher até três opções de preferência por produtos e serviços. O levantamento mostra que o preço médio do presente pretendido pelo consumidor é de R$ 145,46. “Vale ressaltar que os homens se mostram dispostos a pagar mais pelo presente, na faixa de R$ 169,45. O resultado da pesquisa aponta que o lojista, para ampliar as vendas, deve investir mais no treinamento da equipe, com a finalidade de praticar uma abordagem mais direcionada, focada nas expectativas dos clientes”, destaca Maia.

Quanto à experiência de consumo, 61,67% dos clientes apontam o bom atendimento como o principal fator de indicação de uma loja neste Dia das Crianças, seguido por desconto/promoção (58,75%). Esses são os principais fatores para recompra. Quando analisado os fatores que influenciam no índice de rejeição, ou seja, desistência de compra pelo consumidor, o “mau atendimento” (70,81%) foi o fator mais apontado, seguido por “preço alto” (66,73%). Isso indica o quanto o preço e atendimento são importantes para o consumidor.

Foto: Freepik             Fonte: Fecomércio

Posts Relacionados

Deixe seu comentário