Setor Comercial Sul, Quadra 06, Bloco A, Lote 206, Ed. Newton Rossi, 3º. andar, Parte G, Brasília – DF, CEP 70.306-911

Varejistas brasilienses estão otimistas quanto ao Dia das Mães

sindesei

Os varejistas brasilienses estão otimistas em relação às vendas para o Dia das Mães deste ano. De acordo com pesquisa realizada pelo Instituto Fecomércio-DF, quanto às perspectivas de vendas, 39,55% dos lojistas entrevistados esperam um montante de vendas maior que 2020, enquanto, 55,47% responderam que têm expectativa de vendas igual ao efetivamente vendido no Dia das Mães do ano passado. Apenas 4,98% possuem expectativas negativas. O levantamento de dados foi feito com 401 empresas de diferentes segmentos, concentradas em várias regiões do Distrito Federal. Segundo o Presidente da Fecomércio-DF, José Aparecido da C. Freire, o otimismo era esperado. “Esse ano o comércio está aberto, logo a expectativa é superior a 2020”, explica.

Os empresários esperam que o consumidor gaste mais ao fazer a compra no ano de 2021. O valor de venda média por cliente informado pelo lojista para esta data comemorativa de 2021 foi de R$189,78. Em 2018, época da última pesquisa realizada pelo Instituto Fecomércio-DF, os entrevistados apontaram um valor de R$ 120,00, donde se percebe uma variação real positiva de +37,98% em relação ao ano de 2018, já considerando a inflação do período. O estudo conseguiu identificar ainda que as duas estratégias mais adotadas para atrair os clientes serão a Promoção (25,08%) e a Vitrine Temática (21,18%). Para o consumidor, os descontos e promoções (53,49%) seguidos pela qualidade do produto (13,18%), são os maiores motivos para retornar a uma loja. Já o preço alto (46,90%) foi considerado a principal razão de não voltar a uma loja, o que aponta a alta relevância do preço do produto estar competitivo.

Em relação ao preço dos produtos, a maioria dos lojistas, 84,80%, indicou que manterá os preços dos produtos inalterados em relação aos preços do ano anterior, o que certamente será um grande atrativo para os consumidores; 12,4% afirmaram que vão aumentar e 2,7% reduzirão. Como justificativa para aumento dos preços, 100% responderam que será devido ao repasse do fornecedor. Para a redução, 27,1% disseram que irão abaixar os preços para se adequar ao cenário da crise; 27,1% para atrair mais clientes; 27,1% em razão de promoção e 18,7% para girar estoque encalhado.

Consumidor

Apesar da pandemia, cerca de 63,55% dos consumidores brasilienses irão presentear neste Dia das Mães. Ainda de acordo com pesquisa realizada pelo Instituto Fecomércio-DF, dos 406 consumidores entrevistados, apenas 36,45% não presentearão no Dia das Mães de 2021. Entre os que não pretendem presentear 41,89% indicaram que estão com dificuldade financeira; 38,51% responderam que não têm a quem presentear; 15,54% estão desempregados e 3,38% não gostam de presentear.

O ticket médio esperado pelos consumidores é de R$114,96. Na última pesquisa realizada, em 2018, nesta mesma data comemorativa, a média havia sido de R$ 158,71, donde se percebe uma redução real de -27,56%. Em relação as opções de pagamento, 36,8% dos entrevistados indicaram que irão pagar suas compras no cartão de crédito; 27,5% no dinheiro; 20,5% no cartão de débito e 15,1% através de PIX/transferência. Sobre o local de compra, os meios utilizados serão as lojas de rua (41,09%); lojas de shopping (31,78%); feiras (10,47%); internet (7,75%); lojas de departamentos (5,04%); supermercados (3,49%); entre outros. A respeito dos produtos escolhidos para dar de presente neste Dia das Mães, 32,40% dos consumidores têm preferência por roupas/acessórios; 27,75% por calçados/acessórios; 17,52% por cosméticos/perfume; 8,06% flores/cesta; 6,82% jóias/semijóias/bijuterias; entre outros.

Por Marilia Gonçalves

Foto: Canva           Fonte: Fecomércio / CNC

Posts Relacionados

Deixe seu comentário